segunda-feira, 30 de novembro de 2009

"Tava lindo de ver...."


Semana passada fui testemunha de que a Educação realmente é o intrumento de mudanças socias, culturais, filosóficas, etc. de uma nação.
Participei do Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica, em Brasília.
E "tava" lindo de ver: Uma gurizada muito engajada, muito consciente de que o futuro literalmente está nas mãos deles, com projetos de vida, com planos de futuro e com uma articulação impressionante com respeito às coisas que realmente interessam a eles.
Conheci muitas culturas dentro deste Brasil-Continente. Rompi com pré-conceitos (meus), é claro, com relação a outros povos.
E tudo era emocionante. Chorei quando os guris do CAVG se apresentaram, tocando as músicas do Rio Grande do Sul e a gurizada do nordeste, da Colômbia, Argentina, Haiti, Angola, España, Uruguay.... começaram a dançar num momento perfeito de comunhão ente os povos.
Indescritível a emoção de ouvir o Hino Riograndense longe do pago. Dá um nó na garganta, sobe um orgulho pelo peito e explode bem alto.
Aprendi muito. Conheci projetos impressionates que os alunos estão desenvolvendo nos IF'S, CEFET'S e Escolas Agrícolas e Técnicas.
O CAVG fez bonito!!!! A gurizada da música, as minhas gurias do vestuário, a turma do Teatro, o Coral...
Cada dia eu me orgulho de fazer parte da familia CAVG.
É claro que este texto não diz nada. Teria que estar lá pra ver...
Pra sentir que a Educação é tudo. E que vale a pena.

(Fotinhos e comentários sobre Brasilia no próximo post)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

De bem...


Sou bi-polar ou o que??
Uma semana completamente do mal!! E na outra muuuiiitttoo do bem..
Sei lá... fiz coisas que me dão prazer, acho eu...
Bati perna na Feira do Livro com as minhas filhas, conversamos, rimos muito, relembramos feiras passadas, falamos dos preços dos livros e da nossa genética paixão literária - e principalmente por cheiro de livros novos.
Sou meio de lua, - muito de lua, diria eu..
Acho que tô ficando velha, sabe??? meio maniática, meio mau-humorada, meio assim.. muito assim...
Mas o bom é que é que nem gripe: Dá e passa!!
E eu volto a renascer com as manhãs de sol... como os meus amores-perfeitos do meu jardim...
Volto depois. Com o meu PC arrumadinho..
Não gosto de escrever em PC's alheios.. me parece sacrilégio.


Bj.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

De mal...


Odeio sentir raiva.
Odeio ser ignorada.
Odeio não ter coragem de explodir.
Odeio ser manipulada e ver gente ser manipulada.
Odeio joguinhos mentais.
Odeio ver pessoas fazerem os outros de bobos.
Odeio pessoas que se aproveitam dos sentimentos dos outros pra maltratá-los ou menosprezá-los.
Odeio não ver solução.
Odeio me sentir assim.

Odeio conjugar este verbo.

sábado, 31 de outubro de 2009

La Bruja....


Hoje tô me sentindo a própria bruxa...

Mas não a bruxa feia, que ama andar de preto (isto é coisa de Emo, com gargalhadas estridentes, voando em vassouras nas noites de lua cheia e fazendo poções malignas.
Me sinto bruxa porque porque as bruxas da nova era são quase como deusas. São livres, sempre em comunhão com a natureza

s Bruxas foram caçadas implacavelmente principalmente durante a inquisição na Idade Média, bastava ser um pouco diferente do comum, como por exemplo: muito magra, ou muito feia, ou até as que se atrevessem ir contra a Igreja eram chamadas de hereges, e levadas a fogueira para queimar até a morte. Milhares morreram desta maneira.

E qual é o significado de Bruxa?

Mulher sábia ou mulher mágica seria o significado de Bruxa em Sânscrito, que é uma língua clássica da índia, mas existem outras versões.

E como é que alguém vira Bruxa?

A Bruxa é sempre a última filha de uma série de sete mulheres. Seu fadário (maldição) é de sete anos. Para escapar a ele deverá ser batizada pela irmã mais velha. Mais tarde será madrinha de crisma dessa irmã. Ela gosta de sal, Cada vez que o recebe está aliviando sua pena, porque o sal é sagrado.

Eu virei bruxa quando decidi ser exatamente como sou.
Sou assim e Feliz Dia das Bruxas..

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Arrisque-se


Ontem (feriado) eu tava escutando umas musiquinhas do Jota Quest. Não que eu curta muito, mas... E uma delas me chamou muito a atenção. Na verdade ela é muito parecida comigo _ " ... e onde tenha sol, é pra lá que eu vou... - todo mundo sabe que eu amo SOL!! Mas ela fala do - e com - o medo: " Ei, medo!Eu não te escuto mais. Você não me leva a nada..." Pois é gurizada, arrisque-se mais.. tenha medo, mas um medo saudável. Aquele medo que te deixa alerta e ligado, mas não o medo que te aprisiona e sufoca. Esquece o medo, te arrisca, tchê!!!
Eu arrisquei muitas vezes na vida e ganhei em quase todas elas. Perdi em algumas, mas estas perdas só me levaram a arriscar-me cada dia mais e mais. Não tenho medo da vida, e talvez nem da morte. Tenho medo só de não ter tempo de fazer tudo o que eu quero. De ver minhas filhas adultas e ninar meus netos. E de não envelhecer do lado do amor da minha vida. Disso eu tenho medo. O resto é o resto. O resto e pagar pra ver. O resto não me importa...


Vai um textinho da minha amiga Clarice Lispector. Pra começar a perder seus medos..

Por Clarice Lispector

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade… Já tive medo do escuro, hoje no escuro “me acho, me agacho, fico ali”.
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de “amigo” e descobri que não eram… Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Eu sou assim...


Ando meio econômica nos meus posts. Mas uma imagem - ás vezes - vale mais que mil palavras.

Mas eu sou assim....

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

FELIZ DIA DO PROFESSOR!!!

Bueno.. era isso....

Ser Professor não necessita de muitas palavras...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Gracias, Don Mario....


EL MUNDO PASA

Desde mi sólida banqueta, o sea desde mi trono de pelagatos, veo desfilar el tiempo y sus minucias, los torbellinos del desorden, las fragatas que en el puerto se mecen impasibles, los murciélagos que inmóviles vigilan, las golodrinas que regresan cargadas de experiencia.

También manos que ahora son casi garras, bocas seductoras que reclaman besos, pieles que se convierten en pellejos, ojos que aman cuando miran, colinas de allá lejos que se acercan, arroyos que se vuelven ríos, ríos que se vuelven mares.
Desde mi sólida banqueta, desde mi trono de pelagatos, veo cielos que se aclaran y oscurecen viejitas que no hace mucho eran muchachas, desalientos que fueron esperanzas. Pero también futuros que se abren y nos llaman, con promesas que quién sabe y no obstante admitimos.

El mundo pasa sin interrupciones, con paisajes que llenan el contorno, alarmas con abismos, glorias inaccesibles, perdones que no pedimos y alborotos en la conciencia cerrrada con candado.
Hasta que una noche inesperada, los párpados sucumben y ya no se levantan.

Mario Benedetti

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Pra começar bem a semana...

"Lee y conducirás, no leas y serás conducido."

Santa Teresa de Jesús


Yo conduzco!

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Travessuras da menina má


Apaixonante e envolvente. É exatamente assim este livro de Vargas Llosa. Comecei a lê-lo num final de tarde do finzinho do verão, quando começa o outono e a gente vai ficando assim meio melancólico....
Sentei embaixo do meu Plátano preferido, na frente da minha casa, com um solzinho tímido se despedindo no horizonte e vi descortinar perante meus olhos de ávida e gulosa leitora/narratário, uma narrativa fluída, romântica, aventureira, enfim.. envolvente.

Llosa escreve basicamente uma história de amor como qualquer outra que compreende a vida de Ricardo e a menina má (ela tem vários nomes e vários rostos no decorrer da narrativa – digamos que a menina má é uma “camaleoa”). Ricardo é perdidamente apaixonado por ela desde que se conheceram na sua adolescência em Miraflores na década de 50. A menina má vem e vai nas diversas e diferentes épocas da vida de Ricardo. São encontros e desencontros, sempre com a mesma dinâmica, ao longo da vida dos dois.
É fascinante com reflexões sobre os relacionamentos entre homem/mulher, seus paradoxos, com temas que vão desde o exílio até as mudanças ocorridas nos anos 80.

“Travessuras da menina má” é aquele tipo de livro que a gente fica triste quando acaba. Queria mais. Muitas travessuras com a menina má.

domingo, 13 de setembro de 2009

Literando....


Sou uma leitora voraz. Mas isso não deve estranhar muito já que sou professora de literatura.
Leio tudo. Tudo mesmo. Até bula de remédio, lista telefônica, receita de embalagem, etc.
Tenho uns 5 livros encima da minha escrivaninha começados, mas não terminados. Não é por falta de interesse na história. É pura falta de tempo. Mas vão me dizer: - Sai do blog e vai ler, ué?
Mas não é isso. Ler pra mim significa todo um ritual. Não é simplesmente abrir uma página e seguir lendo. Pra mim, ler é muito mais do que isso. É entrar na história, é tornar-me EU a protagonista. Não ser um simples narratário. Ah!! e não existe nada melhor que cheiro de livro novo!!!
Tenho uma história de amor com os meus autores. As vezes os amo e outras vezes os odeio. mas faço as pazes sempre e retorno a eles, pedindo desculpas pelo minha atitude.
Chorei pela morte do Benedetti. Me senti órfã. Ele se foi e eu nem ao menos pude dizer o quanto os livros dele mudaram a minha vida.
Tenho uma amizade franca com Cervantes, conversamos muito.
Desabafo com Isabel Allende, com Vargas LLosa, com Borges, com García Marques.
Me emociono com Lorca, Gustavo Adolfo Bécquer, Quiroga, Lope de Vega, Antonio Machado, Quevedo e Calderón de la Barca.
Viajo nas narrativas de Erico Verissimo. Conheço a história do meu estado através dos seus olhos.
São tantos os meus amigos escritores que seria injusto seguir enumerando-os.
São meus companheiros de jornada, meus amigos, confidentes, cúmplices.
São eles que me enchem de prazer, delírio, terror e todos os outros sentimentos tão presentes na minha vida.

Não estou sozinha. tenho os meus livros e com eles uma porta para o infinito.

Leio, logo existo.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Dois pesos, duas medidas - By Matheus


Li este texto no blog do Matheus (meu sobrinho) e é claro me "apropriei".


- “O usuário não é criminoso.”
Esse é o pensamento da hipocrisia.
Para eles, o usuário é apenas um viciado. Que culpa ele tem de ser assim?
Paralelo a isso, condenam o usuário de crack que assaltam seus carros, roubam suas casas e furtam suas bolsas. E reclamam das crianças que pedem dinheiro na rua para financiar os vícios.
Agora eu pergunto: a cada cem viciados, quantos foram obrigados a começar a se drogar?
Então, uma voz ao fundo grita:
- Mas as pessoas sofrem influencias dos amigos, do meio em que vivem, isso é inevitável.
E eu digo: - Eu não sofri. Eu e mais muitos de meus amigos.
Até o dia em que usuários forem considerados vítimas e não culpados, a droga seguirá sendo um problema. Enquanto os pais passarem a imagem de que o viciado não é culpado aos filhos, mais filhos entrarão nas drogas, financiando seus próprios problemas e fazendo a felicidade dos traficantes.
Considerar o usuário inocente é tão coerente como considerar o matador de aluguel culpado, mas livrar a cara do mandante.
É uma questão econômica, se não tem procura, não tem oferta.
Ou estou errado?


Eu, agora:
Pois, é... fiquem pensando neste texto do Matheus.
Principalmente onde ele diz que as pessoas sofrem a influência dos amigos.
Então vamos ver:
Eu conheço um monte de gente que tinha tudo pra ser baita viciado em crack, cocaina, ecstasy, e tantas outras "coisinhas". Gente sem pai, sem mãe, sem grana, sem perspectiva, gente de pais separados, gente com deficiência.. Hiiiii!!! um monte de coisas.
Saca?? gente com TUDO pra cair no vício. Mas no entanto, esta gurizadinha simplesmente não aceitou sofrer influência de ninguém - porque eles já são cabecinha-feita - e são uma gurizadinha muito gente boa; a maioria tá na universidade, fazendo a sua vidinha, construindo a sua própria história sem ficar colocando a culpa da sua pura incapacidade no crack ou outra droga qualquer.
Em compensação, conheço outra gurizadinha que tinha tudo pra ser "feliz": Pais amorosos e presentes, casa, comida, roupa lavada, internet turbo de 50000 gigas, educação, acesso ao lazer, à saúde, férias em santa, etc.
Daí essa gurizadinha - totalmente sem atitude e MUITO maria-vai-com-as outras - se rebela!! Ah!! motim a bordo!!!! Mulheres e crianças primeiro!!
Como diz o meu pai: -" Se foi a gata com a cinta". E elas entram numas de droga, revolução em casa, etc..etc.. etc..
Sabeo que falta pra essa gente?? LIMITE!!!!!
Na minha infância _ que já faz tempo - eu tive tudo que uma criança podia querer. Meus pais ralavam o dia todo e de noite iam pra faculdade - os dois!!!- para meus irmãos e eu termos uma infância legal. A gente tinha um bom colégio, presentes no Natal, festinha de aniversário, chocolate na Páscoa (eu não, que era alérgica, podia comer bem pouquinho), férias no Cassino (põe no google earth, quem não conhece), manhãs de domingo na pracinha, cachorro, gato, Falcons & Susies, muito amor e uma coisa basiquinha: LIMITE!!
Mãe: "- Meia-noite em casa, guria!!" (e eu tinha quase 18 anos).
- "Arruma teu quarto, senão não tem saída pra ti" _ e eu arrumava (ou escondia a bagunça embaixo da cama"
- " Ah!! nota vermelha??? um mẽs de castigo, ou até melhorar esta nota." - e a gente ficava até mais de um mês, dependendo da matéria.
Pai: "- Não pega o carro guri, não precisa. Aqui tudo é pertinho"

Resumo, que já me esperam pra reunião: Somos todos pesssoas de bem, com nossas carreiras e nossas familias.

voltaremos...

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Delírio puro....



.


Las manos de mi cariño
te están bordando una capa
con agremán de alhelíes
y con esclavina de agua.
Cuando fuiste novio mío
por la primavera blanca,
los cascos de tu caballo
cuatro sollozos de plata.
La luna es un pozo chico,
las flores no valen nada,
lo que valen son tus brazos
cuando de noche me abrazan,
lo que valen son tus brazos
cuando de noche me abrazan.

Zorongo, de Lorca

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Calderón..


Yo sueño que estoy aquí
destas prisiones cargado,
y soñé que en otro estado
más lisonjero me vi.
¿Qué es la vida? Un frenesí.
¿Qué es la vida? Una ilusión,
una sombra, una ficción,
y el mayor bien es pequeño:
que toda la vida es sueño,
y los sueños, sueños son.


Solilóquio de Segismundo en La vida es sueño.

Pedro Calderón de la Barca

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

A la deriva...




Hay que salvar la nave,
su tripulación,
el cargamento.
Sálvala tú que sabes el oficio,
que puedes tranquilizar el desorden
de las máquinas y el fragor de las olas
con el simple roce de tus dedos,
con el bálsamo de una sonrisa.
No permitas que naufrague
este terco barco a la deriva.
Ofrécele al final tu puerto,
condúcelo
a su muelle húmedo,
y verás cómo se aquieta
este incendio voraz
que me consume.


Enrique Jaramillo Levi

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Sou espaçosa...


Sou espaçosa...

Meio grande, assim... (no alto dos meus parcos 1,58).
Não consigo gostar pela metade. Ou amo ou odeio.

Não gosto de nada morno. Ou é frio ou é um calor extremo.

Raramente uso tons pastéis. Gosto do vermelho, do roxo, do laranja, do amarelo, do dourado. Cores frias, pra dias frios. Mas meus dias são de extremo calor mutante e pulsante.

Sou ambiciosa. Não que queira o que é do outro. Quero o que é meu por direito!
Gosto dos amanheceres (na minha cama) e dos entardeceres na lagoa.

Não me diminuo em nenhuma hipótese. Sou grande. Imensa. Tão grande que às vezes nem caibo em mim. Me esparramo, me derramo, mas não me junto.

Sou leonina na perfeita acepção da palavra: EU SOU.

Sou firme, nobre e vital. Honesta e criativa. Sou orgulhosa, presunçosa, inflexível, egocêntrica e brilhante.

Sou afetuosa, generosa e sei mostrar meus sentimentos de uma maneira às vezes cruel. Sou íntegra e presumo que todas as pessoas o assim são.

Totalmente impaciente, não espero nada nem ninguem. Hiperativa, desconcentro fácil. Não consigo ficar mais de 15 minutos fazendo a mesma coisa.

Me apaixonei perdidamente uma vez na vida. E continuo apaixonada.
Sou romântica e dramática. Amo com magia e suntuosidade, sem inibição.

Busco conhecimento e identidade.
Sou do fogo. Que queima e destrói. Mas sou viva, enérgica e calorosa.

"Sou aquilo que manifesto".

Denise (em uma bela tarde de quase primavera).

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Só de sacanagem...

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar, malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro,
do meu dinheiro, que reservo duramente para educar os meninos mais pobres
que eu, para cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais, esse dinheiro
viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.

Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem para aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo
que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.

Meu coração está no escuro, a luz é simples, regada ao conselho simples de meu
pai, minha mãe, minha avó e dos justos que os precederam: “Não roubarás”,
“Devolva o lápis do coleguinha”, Esse apontador não é seu, minha filhinha”.

Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar.
Até habeas corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha ouvido falar e sobre a
qual minha pobre lógica ainda insiste:
esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará.

Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido,
então agora eu vou sacanear:
mais honesta ainda vou ficar.
Só de sacanagem!

Dirão: “Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba”
e eu vou dizer:
Não importa, será esse o meu carnaval, vou confiar mais e outra vez.
Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos,
vamos pagar limpo a quem a gente deve
e receber limpo do nosso freguês.

Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau.
Dirão: “É inútil, todo o mundo aqui é corrupto,
desde o primeiro homem que veio de Portugal”.

Eu direi: Não admito, minha esperança é imortal.
Eu repito, ouviram? IMORTAL!

Sei que não dá para mudar o começo
mas, se a gente quiser,
vai dar para mudar o final!

Elisa Lucinda

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Dedicação


DEDICAÇÃO (autor: Roberto Shinyashiki)

Dedicação é a capacidade de se entregar à realização de um objetivo.
Não conheço ninguém que tenha progredido na carreira sem trabalhar pelo menos doze horas por dia nos primeiros anos.
Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes.
Da mesma forma, se você quiser construir uma relação amiga com seus filhos, terá de se dedicar a isso, superar o cansaço, arrumar tempo para ficar com eles, deixar de lado o orgulho e o comodismo.
Se quiser um casamento gratificante, terá de investir tempo, energia e sentimentos nesse objetivo.
O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem.
Mas, para conseguir um resultado diferente da maioria, você tem de ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados.
Não se compare à maioria, pois, infelizmente, ela não é modelo de sucesso.
Se você quiser atingir uma meta especial, terá de estudar no horário em que os outros estão tomando chope com batatas fritas.
Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão.
Terá de trabalhar, enquanto os outros tomam sol à beira da piscina.
A realização de um sonho depende da dedicação.
Há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica.
Mas toda mágica é ilusão.
A ilusão não tira ninguém do lugar onde está.
Ilusão é combustível de perdedores.

"Quem quer fazer alguma coisa encontra um meio.
Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa".


Escutei este texto no Pretinho. Amei...
Fiquei pensando nos fins de semana, nas noites, nas manhãs de sábado que não fiz absolutamente nada a não ser estudar ou trabalhar. Pensei nos momentos em que não vi minhas filhas crescerem até um dia acordar e ver que elas já se viram sozinhas e que já estão construindo a sua propria história.
Pensei nas bolsas e sapatos que eu não comprei, nos presentes que eu não dei, nas viagens que eu não fiz pra simplesmente comprar livros.
Pensei em todos os momentos que não fiquei junto de quem eu amo porque o "dever me chamava".
Não conseguimos nada na vida se estamos esperando que as pessoas façam por nós.
Não fiquei "com a boca escancarada, cheia de dentes esperando a morte chegar".
Me dou conta que sou o sujeito da minha própria história, a qual contruo todos os dias, pouco a pouco e me orgulho disso.
Tenho pena de quem não tem projetos nem perspectivas de vida. Eu tenho.

Pra mim, o céu é limite. E eu chego lá.

Chego sim!!!!!

Tornar .. amb noves perspectives! Sempre!!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Moviments salvatges




A minha primeira recordação que eu tenho de estar em solo espanhol - além do stress da alfândega e tals e de eu cair literalmente nos braços da Nathalia, em Barcelona - foi a minha primeira manhã lá (depois de dormir por inúteis 15 horas seguidas), acordei ao som de uma música linda que parece que saia da minha alma. Si vens. uma canção que parecia uma história de amor.
No começo não conseguia enetender a letra, mas a música falava e me tocava profundamente.
Desde aquela época fiquei fanzona deste grupo - Ja T'ho Diré - um grupo que canta em catalão maiorquino.

Está música fala ao coração. Olha só:

Peuades damunt s’arena.
Si véns, em trobaràs
ballant de puntes
damunt d’aquesta roca
i tu per jo et tornaràs loca.

Viatjarem amb un cavall alat,
aquest vespre silenciós
cap a racons inexplicables, deserts,
salvatges.
Esperarem sa nit.

Vaig anar a trobar camins de foc.
Me’n tornaria a anar
més enfora que mai.

No tinc por de somiar
que em perdré pes camí
o que no tornaré mai més.

Jo no sé de quina banda burfarà.
Sa sínia perd aigua
i sempre amb es peus banyats.
Tenim pedres entre ses ungles,
ben pops i despullats,
com dues gotes d’aigua
a ses cales del Pilar.

Te cantaré as capvespre,
t’estimaré a sa matinada,
te donaré fruit
i te menjaré a besades.

Amo o último verso:

"Te cantarei ao por do sol,
Te amarei pela manhã,
De darei frutos,
e te comerei a beijos".

Não precisa dizer mais nada!!!!



una altra vegada. un petó. adéu...

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Rei Lear


Em Rei Lear: num diálogo com o bufão, diz este ao rei: "deverias ter-te tornado sábio antes de envelhecerdes"
O mesmo pode ser aplicado ao sentimento amor; "deveríamos ter amadurecido antes de termos vivido certos amores."


Gracias Anne...

Voltaremos....

sábado, 4 de julho de 2009

E viva a EDUCAÇÃO!!!!




Não me choquei ao ver esta charge. Isto virou rotina. É uma pena que os papéis se inverteram.
A educação no Brasil virou uma charge!!! Uma brincadeira!!! Um quadro num programa de humor.
Sou professora por pura paixão. Não saberia ser outra coisa. Não saberia fazer outra coisa.
Mas as coisas não andam muito bem. Tenho presenciado cenas da educação que me deixam muito triste.
Novas teorias pedagógicas??? Novas vertentes filosóficas???
O papel do professor mudou, minha gente. Tá.. o salário tá baixo, as condições de trabalho insalubres, blá, blá, blá...
Mas o que mudou foi a consciência da nossa clientela. Professor assumiu o papel daa familia. Professor além de ensinar tem que educar, porque a educação infelizmente NÂO VEM MAIS DE CASA!!
Viramos reféns. Temos que aprovar de qualquer jeito, temos que aprovar alunos totalmente despreparados pra vida porque a tal modernidade nos exige isso!!!
Lembro dos meus tempos de escola (lá no século passado onde a figura do professor ainda era respeitada) onde o ato de aprender era prazeroso permeado pela responsabilidade e pela admiração por nossos educadores.
Fico me perguntando onde nós, professores, perdemos o rumo dessa prosa.
Onde erramos, my god???
Conheço colegas meus que tiveram que se afastar da escola por ameaças dos alunos e - pasmem!!- por ameaça dos próprios pais dos alunos que não admitem uma reprovação a causa da tal bolsa-esmola.
Educação virou moeda de troca: - eu te dou uma esmola por mês pra teu filho estar matriculado (hei! eu falei matriculado!! Aprovação é outro departamento!) e tu fica achando que eu sou um bom político tá???
ah.. meus amigos.. meu querido amigo Renato Russo já perguntava:

QUE PAIS É ESSE??????

domingo, 21 de junho de 2009


Gente!!! Dois meses sem postar nada!! Que vergonha!!!!
Mas algumas coisinhas – ou “coisonas” aconteceram.
O Miguel decidiu nascer com 2 meses de antecedência e a coisa ficou meio feia...
Um mês e meio de hospital e ele ta lindo, sadio, feliz e em casa!!
Hoje lambi muito ele... Andava louca pra dar uma afofada básica, por que desde que ele nasceu, só o vi dentro da UTI cheio de fios e tubos e é uma visão aterradora. Mas acontece que o nosso tão famoso primeiro encontro demorou pra acontecer. Peguei uma maravilhosa gripe que resistiu bravamente por uns 10 dias.. então.. adiei nosso encontro. Mas hoje quando peguei ele no colo pela primeira vez senti uma emoção indescritível!!!!
Aquele “pacotinho” vestido de verde simplesmente me emocionou muito!!!
Pra variar ele dormia, mas quando abriu aquele olhão e me viu ele já sabia que eu seria para sempre a sua “tiazona”!!
Miguel, meu anjo, prometo ser a melhor tia do mundo!! Prometo te levar no Mac Donald´s, comprar muito chocolate, te ensinar a andar de bici, juntar conchinha no Cassino, começar a tua coleção de hot wheels, e ter sempre chiclete e MM’s na bolsa.
Seja bem-vindo anjo Miguel.. E seja o anjo da minha vida.

Agora é esperar pela Rafaella, a minha Rafinha, que ta chegando dia 13 de julho. Prometo muita Hello Kitty, minha linda!!!!

terça-feira, 14 de abril de 2009

Minhas amigas do peito, da alma e do coração...



Pra vcs, minha amigas que eu amo MUITO.. - Dri e Tania - um texto do Artur da Távola, que simplesmente diz tudo!!!!

AFINIDADE
A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil,
delicado e penetrante dos sentimentos.
O mais independente.

Não importa o tempo, a ausência, os adiamentos,
as distâncias, as impossibilidades.
Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação,
o diálogo, a conversa, o afeto, no exato ponto em que foi interrompido.
Afinidade é não haver tempo mediando a vida.

É uma vitória do adivinhado sobre o real.
Do subjetivo sobre o objetivo.
Do permanente sobre o passageiro.
Do básico sobre o superficial.
Ter afinidade é muito raro.

Mas quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar.
Existia antes do conhecimento, irradia durante e permanece depois
que as pessoas deixaram de estar juntas.
O que você tem dificuldade de expressar a um não afim, sai simples
e claro diante de alguém com quem você tem afinidade.

Afinidade é ficar longe pensando parecido a respeito dos mesmos
fatos que impressionam, comovem ou mobilizam.
É ficar conversando sem trocar palavra.
É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.

Afinidade é sentir com.
Nem sentir contra, nem sentir para, nem sentir por, nem sentir pelo.
Quanta gente ama loucamente, mas sente contra o ser amado.
Quantos amam e sentem para o ser amado, não para eles próprios.

Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo.
É olhar e perceber.
É mais calar do que falar.
Ou quando é falar, jamais explicar, apenas afirmar.

Afinidade é jamais sentir por.
Quem sente por, confunde afinidade com masoquismo.
Mas quem sente com, avalia sem se contaminar.
Compreende sem ocupar o lugar do outro.
Aceita para poder questionar.
Quem não tem afinidade, questiona por não aceitar.

Só entra em relação rica e saudável com o outro,
quem aceita para poder questionar.
Não sei se sou claro: quem aceita para poder questionar,
não nega ao outro a possibilidade de ser o que é, como é, da maneira que é.
E, aceitando-o, aí sim, pode questionar, até duramente, se for o caso.
Isso é afinidade.
Mas o habitual é vermos alguém questionar porque não aceita
o outro como ele é. Por isso, aliás, questiona.
Questionamento de afins, eis a (in)fluência.
Questionamento de não afins, eis a guerra.

A afinidade não precisa do amor. Pode existir com ou sem ele.
Independente dele. A quilômetros de distância.
Na maneira de falar, de escrever, de andar, de respirar.
Há afinidade por pessoas a quem apenas vemos passar,
por vizinhos com quem nunca falamos e de quem nada sabemos.
Há afinidade com pessoas de outros continentes a quem nunca vemos,
veremos ou falaremos.

Quem pode afirmar que, durante o sono, fluidos nossos não saem
para buscar sintomas com pessoas distantes,
com amigos a quem não vemos, com amores latentes,
com irmãos do não vivido?

A afinidade é singular, discreta e independente,
porque não precisa do tempo para existir.
Vinte anos sem ver aquela pessoa com quem se estabeleceu
o vínculo da afinidade!
No dia em que a vir de novo, você vai prosseguir a relação
exatamente do ponto em que parou.
Afinidade é a adivinhação de essências não conhecidas
nem pelas pessoas que as tem.

Por prescindir do tempo e ser a ele superior,
a afinidade vence a morte, porque cada um de nós traz afinidades
ancestrais com a experiência da espécie no inconsciente.
Ela se prolonga nas células dos que nascem de nós,
para encontrar sintonias futuras nas quais estaremos presentes.
Sensível é a afinidade.
É exigente, apenas de que as pessoas evoluam parecido.
Que a erosão, amadurecimento ou aperfeiçoamento sejam do mesmo grau,
porque o que define a afinidade é a sua existência também depois.

Aquele ou aquela de quem você foi tão amigo ou amado, e anos depois
encontra com saudade ou alegria, mas percebe que não vai conseguir
restituir o clima afetivo de antes,
é alguém com quem a afinidade foi temporária.
E afinidade real não é temporária. É supratemporal.
Nada mais doloroso que contemplar afinidade morta,
ou a ilusão de que as vivências daquela época eram afinidade.
A pessoa mudou, transformou-se por outros meios.
A vida passou por ela e fez tempestades, chuvas,
plantios de resultado diverso.

Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças,
é conversar no silêncio, tanto das possibilidades exercidas,
quantos das impossibilidades vividas.

Afinidade é retomar a relação do ponto em que parou,
sem lamentar o tempo da separação.
Porque tempo e separação nunca existiram.
Foram apenas a oportunidade dada (tirada) pela vida,
para que a maturação comum pudesse se dar.
E para que cada pessoa pudesse e possa ser, cada vez mais,
a expressão do outro sob a forma ampliada e
refletida do eu individual aprimorado.

Sirvam nossas façanhas de modelo a toda a terra....



Semana passada a Caroline me disse:
- Mãe, vou acampar na páscoa lá fora com os meus amigos!!!
E eu, como ser urbana que sou disse: - Pra fora??? Como??? É longe??? Cuidado com as cobras, guria.. esta época tem muitas..
Mas não me dei conta do bueno que deve ser se largar a la fresca, no meio do mato, com uma fogueirinha, um violão, um monte de amigos e é claro ao amor da minha vida.
O Ricardo vive me dizendo que eu só gosto de tá fechada , com um PC no colo e que não sei aproveitar as coisas boas da vida.
Acho que ele tem razão. Ele é capaz de acordar as 5 da manhã só pra ver o sol nascendo na lagoa (que aliás é nossa vizinha) e depois pescar uns peixinhos.
Tô sentindo falta disso. De campo, de espaços abertos, de perder o olhar no verde do Pampa ou no azul da lagoa.
Quero perder um pouco da minha civilidade, quero viver mais perto da natureza, meio hippie, meio bandoleira.. meio - dada as devidas proporções, é claro - Anita Garibaldi. Falando nisso, tenho uma certa identificação com ela. Acho que ela é MARA!! largou tudo pra seguir o amor da sua vida, o único homem que ela realmente amou.. E por ele enfrentou guerras, privações, se imortalizou como uma guerreira numa sociedade essencialemnte machista. Foi atrás do seu sonho, sem ligar pra convenções, pra bandeiras e partidos.
Hoje chamei a Carol de Anita garibaldi. Ela riu: - Capaz, mãe!!!
Carol, te acho uma Anita Garibaldi. Linda, guerreira, contestadora, inteligente e perspicaz.
Que sirvam as nossas pequenas façanhas, minha filha, senão de modelo a toda terra, modelo pra que as nossas vidas se tornem um pouco melhor.

Voltaremos...

quinta-feira, 9 de abril de 2009

QUERO UM SONHO DE VALSA!!!!!!


Tá bem, não precisa ser Páscoa pra eu devorar um Sonho de Valsa, ou melhor, um monte deles!!! Ou uma caixa de "Especialidades Nestlé"... Como porque AMO chocolate. Não sou viciada não, mas gosto do cheiro.. Acho que o chocolate é um dos únicos alimentos que mexe completamente os 5 sentidos da gente. É uma coisa sensual sabe???
Fico ligadona quando como chocolate, meu cérebro funciona melhor, acho que é a desgarga de endorfina e serotonina.. enfim..
Mas minha intenção não era falar do chocolate e da minha eterna campanha: Denise Merece umn OVO SONHO DE VALSA, que eu já considero perdida...
Eu queria falar sobre o significado da Páscoa. Todo mundo sabe que eu odeio Natal e que passaria muito bem só com o Reveillon no final do ano, mas a Páscoa pra mim tem um grande sentido: É realmente a época de renascer, mas não um renascimento que dure uma semana. Isso não!! É a época de se renovar, por as barbinhas de molho e começar a repensar certas atitudes, de ver que manter aquela postura individualista e egoísta não tá com nada!!!! É a época de reviver, morrer pras coisas ruins, pra quem não te ama, pra quem não te respeita, e cultivar ainda mais aquilo e aqueles que tem um significado na tua vida!!
Feliz Páscoa, meu povo, e não esqueçam do meu OVO SONHO DE VALSA!!!!!

domingo, 29 de março de 2009

Selo Violeta


"O Selo Violeta representa as sensações que a cor violeta traz para a nossa mente. Este prêmio é dado ao blog que tem alguma das sensações da cor violeta. São algumas delas: magia, encantamento, graciosidade, magnetismo... e tudo aquilo que parece mágico!


Quem me indicou foi: A Ana do blog (mara!!!) Roccana. Ela que me ensinou a fazer meu blog e ainda por cima me viciou!!!! Fiquei super feliz com a indicação porque vindo da Ana é mais que um prêmio!!!

Regras:
> Exibir o selo "Violeta" no seu blog com as regras.
> Indicar quantos blogs você quiser, que você considera violeta.
> Avisar os indicados. Não se esqueça disso!
> Escreva dois poderes mágicos que você já imaginou ter.

Meus indicados são:
> Blogstórias essenciais http://blogstoriasessenciais.blogspot.com/, da Fátima Campilho, pela riqueza do texto e sensibilidade com a escrita.
> Pontes indestrutíveis, da patricia: http://patriciandeduc.blogspot.com/, pela preocupação com a Educação.
> Sundae, BLOG, Sundae, do André Christ, pelos textos carregados de sentimento.

Meus Poderes Desejados:
Teletransporte: Pra poder viajar pelo mundo, sem sair (quase) do lugar!
O poder da cura, para curar as minhas e as feridas dos outros (corpo e espírito)!

quarta-feira, 11 de março de 2009

A volta....


Pois é gurizada... voltei...
Passei um mês e pico sem ao menos me fazer uma auto-visita.. Mas eram as férias e tals.. então...
Mas o principal é que fiquei sem PC por um mês... Eu como sou ciumenta, não consigo escrever em PC's alheios (meu blog, é claro!!!).
Tenho um ciúme bárbaro do meu notebook!! Lá eu tenho desde minhas aulas, fotos, até receitas de sushi.. (e é claro, minha coleção de expansões do The Sims!!)
Então, tirei umas feriazinhas do meu blog.. Até porque pra escrever a gente tem que estar inspirada e eu tava mais afim de ficar de pernas pro ar curtindo as minhas mais que merecidas férias.
Mas a boêmia voltou (eu, não a cerveja)|!!!
Bueno, março, né?? Começo das aulas, minhas e das gurias.. Compra de uniforme, material escolar (pra mim uma livraria é uma Disneylandia!!) e rever meus "filhotes". Rezo pra que cheguem as férias, mas também gosto da volta.. Encontro todos muito agitados, bronzeadinhos, alguns cresceram tanto nas férias que nem os reconheço..
É a roda da vida girando...
Tenho sentido uma certa nostalgia de uma época da minha vida: minha infância. Acho que como já tô quarentona, minha lembranças ficam cada vez mais vivas. Lembranças boas, da volta as aulas, do Vô Antônio me levando de charrete pro colégio, do leitinho quente que a Vò Zilda me "obrigava" a tomar antes de ir pra escola, das brincadeiras com a Jaque ("mas até começar o sítio (Sitio do Pica-pau Amarelo, que passava na Globo todas as tardes, as cinco)...
Será que tô ficando velha??? Acho que não!! Tenho uma incrível Síndrome de Peter Pan. Me recuso a crescer. Quero ser criança pra sempre, nunca perder a inocência nem a confiança nas pessoas (a gente acaba perdendo um pouco - ou muito - disto com a idade e com as rateiras que a vida nos passa.
Mas a vida é bela.. somos felizes.. temos tudo que Deus nos permite ter...
E viva Peter Pan rumo A Terra do Nunca..
Bjus..

Voltarei....

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Viva como as flores!!!!


Viver como as flores
"Mestre, como faço para não me aborrecer? Algumas pessoas falam demais, outras são ignorantes. Algumas são indiferentes. Sinto ódio das que são mentirosas. Sofro com as que caluniam".

- "Pois viva como as flores!", advertiu o mestre.
- "Como é viver como as flores?" Perguntou o discípulo.
- "Repare nestas flores", continuou o mestre, apontando lírios que cresciam no jardim. "Elas nascem no esterco, entretanto são puras e perfumadas. Extraem do adubo malcheiroso tudo que lhes é útil e saudável, mas não permitem que o azedume da terra manche o frescor de suas pétalas. É justo angustiar-se com as próprias culpas, mas não é sábio permitir que os vícios dos outros o importunem. Os defeitos deles são deles e não seus. Se não são seus, não há razão para aborrecimento. Exercite, pois, a virtude de rejeitar todo mal que vem de fora. Isso é viver como as flores."

Pois é gurizada, vamos ser lirios...

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Para os meus bebês que estão chegando!!!!


Vejo-te no teu sono
o ar de anjo descansado,
encontro a nostalgia
nas minhas lembranças.

Tuas mãos pequeninas
um rosto perfeito,
a suavidade da pele
o cheio de ternura.

Em teu olhar inocente
encontro a grandiosidade
da mais bela obra prima
de todo o universo.

Em teu ser
nasce uma flor,
com essência odorífera
um mundo pleno de magia.

Uma vida plena de ingenuidade,
a fragilidade dos gestos
palpitam espelhos de sensações,
num sentir intransponível da razão.

Este foi o tempo,
que os dias levaram...
O crescer do passarinho
que voa agora livre
em busca do seu caminho.

Ficou presente a saudade
de no meu colo te embalar
o teu sono velar
e com teu sorriso acordar.


--------------------------------------------------------------------------------
Ana Coelho

http://escrita-anacoelho.blogspot.com/

Ah, férias!!!!!


Ah.. coisa BOA tá de FÉRIAS!!!!!!
Existe período melhor do que este???
Sou uma sonolenta compulsiva.. meio baiana.. muito preguiçosa.. Amo acordar tarde... Funciono melhor a noite.. Sou meio vampira.. o sol cedo me cega (hehehehehe!!!), mas o sol depois das dez (que é politicamente incorreto) me atrai.. Adoro me besuntar de sundow e ficar me enfarofando na areia...
E as tardes, então???
Soninho depois do almoço, passadinhas no orkut, chimarrão embaixo das árvores, conversar e mais conversas com o Ricardo. O paraiso existe, meus leitores!!!
Mas tô de meias-férias.. sigo trabalhado aqui e acolá...
Acabo de entregar uma tradução e vou pegar meu solzinho...
Ah, férias.....


quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Ano novo uebaaaaaaaaaaaaa!!!!!


Pois é gurizada.. Ele chegou. 2009. Fresquinho.. Cheio de planos e de sonhos... projetos.. enfim...
Passei uma virada de ano linda.. sentada na areia com as pessoas que amo (faltaram as minhas filhas que estavam com a avó e os tios.)
Tenho planos pra ele.. o tal 2009. Ele que me aguarde...
E chegou o verão também!!!! Amo o calor, areia, sundow, mosquitos, sorvete da Santini, passeios no calçadão... piscininha na casa de mamãe... a sobrinhada toda fazendo bagunça... ai.. era disso que eu tava precisando...
Tenho uma ligação muito forte com o verão.. acho uma época de renovação.. sair do mofo, do frio, dos dias cinzentos e chuvosos, do acordar cedo, de tomar banho com estufa.. urgh!!
Inverno é bom pra quem não curte a vida (opinião minha, ok??)
Mas hoje já são 8 de janeiro e ele ta indo rapidinho..
Fui a praia com as minhas filhas nestes últimos dias.. Manhãs de acordar cedo, um cafezinho com jornal, encher a caminhonete de cadeiras, guarda-sóis, sobrinhos e filhos e ficar horas conversando com a minha irmã ouvindo o barulho do mar e das crias... milho verde e água de coco... Manhãs perfeitas.
Tardes de videoshow e sessão da tarde e depois piscina. .. Noites de papos no alpendre...eita vida boa esta minha..
Acho que vou me dar bem com este tal 2009. Pelo menos ele chegou chegando...
Mas depende de mim dar certo este namoro-com-o-ano.
Tô feliz.. familia aumentando...projetos sendo vislumbrados.. Amando muito o meu único amor, minhas filhas lindas, meus livros, meus felinos e caninos..
É.. acho que vou me dar bem com este 2009.